Janeiro de 2006
A última fronteira!



Entonces, compadres, comadres e amigos!

Depois de muito mofar nos sofás porto-alegrenses, em 2006 iniciei matando esta sanha de continuar conhecendo e esquadrinhando nosso Rio Grande. E tal qual Blau (sempre o Blau, hehe), fui-me pra fronteira, lá no outro lado do estado. Mais especificamente, São Borja, a última das famosas fronteiras que me faltava conhecer.

A oportunidade foi uma viagem de amigos que seguiriam de motocicleta para o Chile, num trajeto de 22 dias. Prepararam-se durante um ano para isso e, no dia 07 de janeiro de 2006, um sábado, largaram seis motocicletas rumo à Uruguaiana e outras três adicionais de escolta.

Na imagem abaixo vocês podem rever dois grandes conhecidos: El Cohen, à esquerda, de boné amarelo protegendo o pouco-telhado e, à direita, El Laçador, em sua tradicional e imutável pose. A largada desta tropeada foi no posto do Laçador, ali na Farrapos.

Quero que você acompanhe esta viagem que realizei com muita satisfação.

Primeiro, tocamos cavalo (no meu caso, minha égua metálica Hiena) até Uruguaiana. Depois, a escoteiro (sozinho) subi até São Borja, cruzando por Itaqui. Dali, raspei por São Luiz Gonzaga e pousei em São Miguel das Missões. E por fim, na segunda-feira, deitei lombo pelos corredores do Rio Grande até Porto Alegre. Chamo especial atenção para conhecer a história do lagartão que jogou-me, junto com a Hiena, para um valão de metro e meio perto de Soledade.

Sei que durante toda a semana anterior cantarolava essa música (e quase fui expulso da sala de tanto que amolei a turma lá de casa):

Amanhã eu vou embora pros rumo de Uruguaiana
Vou levando na minha balsa cedro, angico e canjarana
Quando chegar em São Borja, dou um pulo a Santo Tomé
Só pra ver as correntinas e vou bailar um chamamé
(Balseiros do rio Uruguai)

Bamo lá, clica nesta égua aí debaixo.