Porto Alegre, 01 de setembro de 2001.

Buenas chê, estás curioso pra saber por que chorei?

Já le conto... mas antes quero antecipar que esta foi uma das páginas mais difíceis de construir, em seis anos de Página do Gaúcho.

Quando viajo, as cousas vão se construíndo na mente e quando chego de volta no meu rincão, já está tudo mentalizado e basta verbalizar ou... editorar, hehehe...

Mas desta vez não foi assim...


 CTG 20 de Setembro - Curitiba/PR

Chegador (indivíduo audacioso) que sou, tenho ido morar 15 dias por mês em São Paulo para comercializar as cousas que fazemos pelaqui nos pampas.

E numa dessas picadas, já cansado do cinza da capital paulistana, acendi uma vela pro crioulinho do pastoreio, pra ver se achava um amigo que me recebesse em Sorocaba ou Curitiba, cidades próximas de São Paulo e reconhecidas como mantenedoras de nossas tradições.

Despejei uns 20 mails pro povo de Curitiba em um sábado, às 07:30 e... não deu uma hora e um cidadão se apresentando como Tenente Lima já me ligava dizendo o seguinte:

- Não tem erro, hermano! Eu respondi teu e-mail primeiro, então estamos com luz em relação aos outros CTGs e é aqui que tens que vir primeiro. Já está tudo acertado: hotel, recepção na rodoviária e tudo o mais. Basta trazer bota e bombacha.

Atônito, concordei e comentei com a patroa o que tinha acontecido. Ela disse que sempre tem alguém mais ligeiro que a gente e aí estava um; que deveríamos aprender com ele.


 Da chegada

Blearghs, reconheço.

Detesto andar de ônibus. Depois de 20 anos me encostando em tudo quando é paradouro do estado, me tapei de asco (asco, não casco!) pelo zunido do veículo, dos sons do freio a ar e tal.

Ainda assim, dia 24/08 deste ano 2001, embarquei pra Curitiba às 16:00. E esta viagem foi dessas, em que é descida de serra até Curitiba e o motorista já saiu de São Paulo feito um Cometa, fazendo cada curva que era um badalo de relógio: jogando a gente pra lá e pra cá nas curvas.

Já tenho vivência por este mundão de deus e estou acostumado a endireitar o corpo na direção do táxi e pedir rumo, quando...


 Comitê de Recepção??

Sim, sim... Haviam cinco pessoas me esperando na ferro-rodoviária. Mas bah.

Já ali me deu um troço... Bicho-do-mato acostumado a sair sorrateiramente pelas bordas, uma quantidade de braços me receberam e fizeram estampar um sorriso macanudo nesta estampa de índio xucro. Espia a turma aí embaixo (pra detalhes clica em cima):

     

Dali da churrascaria, onde me impediram de pagar com a expressão "dinheiro de gaúcho não vale aqui no Paraná", fui conduzido ao hotel Cracco pro descanso.

Ah sim, queres saber por que chorei.

Mas isso vai ficar pra próxima página, hehehehe... clica aí na face do choron pra ir adiante.