Fazenda do Casqueiro - Osório


Olha aí no lado a foto, chê!!

Estou inventando umas bossas pra ver se te agrado e caneteias um elogio de agradecimento. Mas risca de leve, por que teu vídeo pode não ser couro dos buenos.

"- Cue pucha! Cosa de loco."

"- Olha o tamanho da placa que tem no corredor pra indicar aos viventes adonde fica a fazenda. Mas nem cego passa reto por esta".

Explodira de felicidade o rabugento, ao ver que não era roubada o convite.

E então o humor do taura já mudou de feição. O humor deste meu chefe é feito galho de sarandi, que de um instante para o outro muda de direção, conforme o vento. Melhor pra nós.

Placa na estrada

A felicidade do patrão foi aumentando, quando...

Na chegada já conseguiu deixar o pingo Chico Leiteiro ao lado de duas potrancas das buenas!

A la fresca, bicho sortudo esse... Claro, uma era a patroa, mas a outra uma chiquita das graciosas e da mesma pelagem que'le.


Chico ao lado de duas potrancas

Oigalê, tá arrastada essa história, hein?!

Na recepção um monte de moça bonita distribuindo crachá... Senti que a patroa ia passar a gravata colorada no patrão, por que os zóio dele brilhavam que era uma cousa de loco.. de assanhado!

E entonces o Cohen foi apresentado a duas personalidades das buenas:

Do lado esquerdo, Henrique Dias de Freitas Lima, que recebeu o encargo de Colmar Duarte para organizar a PRIMEIRA CALIFÓRNIA DA CANÇÃO GAÚCHA, em Uruguaiana e também a Primeira FESTA DA LÃ.

E do lado direito, pilchado de cozinheiro, o espetacular Paulo V. de Azevedo, anfitrião e patrão da fazenda.

Mas hein?! Nada como ser metido e se enfiar entre duas autoridades pra aparecer na foto! Agora me pergunta se ele foi com a minha camiseta? Claro que non.


Freitas Lima e Paulo Azevedo

O que estava acontecendo?

A Fazenda do Casqueiro, berço da família Azevedo e onde muitos integrantes dela moraram até idade avançada, resolveram aproveitar todo o ambiente para transformá-lo num hotel-fazenda e a oportunidade de mostrar ao mundo suas instalações se fez com a Confraria do Cordeiro.

O local é limpo, tem galpão, churrasco de cordeiro, saladas, doce doce doce pro formigão Cohen, vários quartos, um arvoredo buenaço, lareira e mais um monte de cousas agradáveis para se passar uma temporada (tem equipe de atendimento pra isso) e tal.

O mala que não é fácil, foi dar uma espiada e conferir banheiros que sempre declaram como é o cuidado do patrão do lugar. Pois bueno, o Paulo é só o cozinheiro, o restante é tocado pelo mulherio da família que é caprichoso barbaridade. Banheiros branquinhos, branquinhos.


sala de estar

um dos quartos

outra sala

Antes do almoço...

Ainda havia a oportunidade de experimentar um novo tipo de cachaça, meio cremoso e gelado, que a cachaçaria da fazenda Maribo estava apresentando aos convivas.

Chê... me desculpem... mas meu patrão Cohen com um copo de cachaça já fica alegre... com dois copos ele já tá dando tiro de laço em árvore e fica pior que macaco com revólver na mão... Por isso sempre vem ele acompanhado d'eu e da patroa... pra ficarmos de soslaia, na garantia de alguma tropelia do artista.

Visita o almoço e os depois...


experimentando novo tipo de cachaça