Da IV Tertúlia Cultural Farroupilha

Bah... vivente... que coisa linda...

Encostados aqui no nosso dia-a-dia, chegando em casa e ligando a tv, tomando um nescau e comendo um pãozinho... se pendurando na internet durante uma hora por dia... xingando o vizinho por que o tanque de lavar roupa dele está vazando aqui embaixo... Atendendo o telefone do papagaio, do micuim, do chica e cousa e tal.

Tudo isso recebe uma faxina mental quando nos deparamos com o que acontece num evento desta estampa, que foi o referido acima!

Como é que vendo esta juventude aí de cima, praticando com interesse e vivacidade nossa cultura e ainda por cima afastada de drogas, álcool e porqueiras fúteis como estes seriados Charmed, Angel, Dawnson Criques e outras cousas assim, a gente não se emociona?

Ver o respeito dessa gurizada toda, dos 5 aos 50 anos, VIVENCIANDO nossas tradições, vestidos a rigor, treinando num cantinho do salão a chula que vai apresentar em minutos, numa competição sadia, não pra machucar, mas pra ser o melhor declamador, a gente poderia ficar inerte?

Bom, pra falar a verdade, eu fiquei paradaço mesmo.

Um arrepio, um tremor correu lomba acima na minha espinha, mostrando que aquele era um momento especial. Saí fotografando de tudo, e alguma coisa tu já vês aí embaixo:





Era bonitaço ver aquela turma toda acampada no arvoredo, nos pátios, nos campos, onde desse... e eles sabem que a patronagem dos CTGs a tudo controla em termos de disciplina, pra evitar excessos...

Por outro lado, era uma gurizada linda, macanuda... De tal formas que eles aproveitam pra flertar, namorar, fazer arruaça - das buenas -, e coisas assim... Se namora o sujeito que declama que é uma barbaridade e não o que conseguiu pichar o teto do prédio ao lado.

Assistindo à competição de danças dos grupos, era uma sensação ímpar.

Belíssimas primeiras prendas de fazer o taita aqui levar puxão de orelha da patroa a cada elogio que fazia quando uma passava. E era cada prenda, cada irmã assistindo... cada mãe, cada tia... Os machos? E eu vou lá cuidar barbudo?



A coreografia do Piazito Carreteiros, de Ijuí: braços cruzados sobre o rosto antes de iniciar a dança... Uauuu...

Num canto do salão, a torcida gritava "boa sorte" ao grupo que adentrava pro dançaredo e o grupo agradecia com um uníssono "muito obrigado"!

A apresentação também do Tropeiro Velho, da cidade de Panambi, cantando "O Gaúcho"... oigalè...

E o grupo "Os Peixotos" animando o dançaredo? Aqui vai o telefone dos tauras no caso de alguém desejar fazer um som bem bagual: 55.312.1586 ou 54.313.2404.

Sei meu irmão que tu não és muito chegado nestas atividades de nossa cultura, mas eu preciso registrar o nome dos vencedores aqui. Acho que para eles será mais um, mesmo que mínimo, incentivo pra continuarem tocando adiante esta nossa tradição!


Vencedores...

conheça as prendas e peões campeões!

Viste só? Não é pouca gente, hein?!

Hein?!

Mais umas fotos?

Bueno, entonces bamos apresentar uma vista florestal do parque com várias gatinhas-do-mato e árvores nativas:

Adelante, o vivente taura que nos convidou formalmente, seo Valter Portalete com a sua camiseta da Página do Gaúcho, ganha pelo convite e... hehehe... comento mais adiante...



É sabido que um churrasquinho qualquer, de costela ou de picanha, de vazio ou lingüíça, de chão ou churrascaria, me leva a qualquer canto deste estado...

Um churrasco tem efeito em mim como cenoura pro coelho... saio chispando loco de especial... o valor não está no churrasco em si... mas na oferta e no compartilhar momentos juntos...

Entonces aqui vai uma crítica ao hermano Valter:

Me convidou, me recebeu, me deu um troféu que é coisa mais linda de se ver, me arrumou guia pra conhecer a cidade - que lógico, dispensei por que sou "quase" nascido nas missões -, que me encheu de informações e mandou livro de Generalidades sobre as Missões Jesuíticas... ou seja...

Foi um anfitrião loco de especial, mas...

Hehehehe, cadê o churrasco? O homê se envolveu tanto com o evento que esqueceu do churra pra este daqui... E como não é a fama, nem livro, nem troféu, nem passeata pela cidade em carro de bombeiros que me alegra...

O que me apraz mesmo é o CHURRASCO SEO VALTEEEEEEEEERRR!!!

Se o diabo me oferecer um churrasco, pode contar comigo na primeira fila! E eu vou pra Machadinho ou pra Aceguá, pra Itaqui ou Carovi, Sarandi ou Porto Xavier... pode ser nos Quintos dos infernos, mas eu vou - tenho que olhar a agenda, é claro...

MAS NÃO ME FALHE O CHURRASCO, OIGALÊ!!!!


Simbora tchermano, que tem muito pela frente...

Domingo cedito, podes ver aí em cima, a gurizada tava bem alegre pra ir até os passeios planejados pelo pai... Mas antes que a tropa acordasse, eu fui comprar filmes fotográficos e cliquei dois pontos da cidade... Veja:






Barbarda, hein?!

Atiradão nesta tua poltrona, só viajando de carona?!!!