TRÊS COROAS


Porto Alegre, 02 de abril de 2000.

Olá compadre Sasso, tudo buenas?!

Pois guri, cria da casa, tu que és amante dos esportes radicais,
te liga - mais hein?! - nessa viagem que fiz com a tropa pras bandas de Três Coroas.

De certa feita fomos convidados pelo compadre Jorge Reis, baita gaudério nascido em São Chico e que se mudou pra Três Coroas, onde o vivente coordena os pilas da turma lá no Banco do Brasil. Entonces eis que foi chegado o dia de aceitar o convite do hôme e conhecer a capital nacional de canoagem/rafting e do budismo e mais uma penca de cousas.

Viajando...

Saímos de Porto Alegre umas 08:00, pela BR-116. Cruzamos pelo aeroporto e seguimos até Novo Hamburgo. Passando um tantinho, pegamos a estrada pra Sapiranga, super-bem-conservada e lá adiante rumo a Taquara. Quase chegando em Taquara, esquerda rumo a Gramado... e loguito estávamos em Três Coroas, depois de rodarmos uns 90 kms.

Viagem tranqüila, todo trajeto esplendidamente asfaltado, uma hora e meia num tranco bem bueno pra evitar bicadas dos vários pardais espalhados pelas rodovias.

De prima fomos na casa do anfitrião Jorge, que já estava acordado em função de sua pequena e belíssima Júlia, fina-flor de guria que puxou aos pais.

Ele queria, como todo gaúcho, tomar um mate, conversar, charlear um tanto, mas nós queríamos aproveitar bem o domingo de sol bonito e carreteamo o índio pra dentro do carro dele, juntamo as tralhas e se bandeamo pra região de rafting... oigal&ê, nome bem porqueira que colocaram neste esporte...

Tu sabias que os campeões Selbach ali da terra são filhos do dono do cartõrio? Mas que tal!!

No Parque das Laranjeiras

Olha só, hein?! Propaganda de graça... nem conheço o pessoal, mas assim pelo menos quem quiser ir lá já tem um número de telefone...

OK, o parque é bem fácil de alcançar... deve ter uns 15 kms de distância... algo por asfalto e outro por terra batida, mas bem conservada. A saída é direto da segunda rótula de entrada pra cidade, entonces não tem erro.

O Parque é... surpreendentemente muito bem organizado.

Cada automóvel que ingressa paga R$ 2,00 para manutenção do parque (ou pras cervejadas dos donos nos finais-de-semana!). Lá tem uma pousada bem limpa e agradável, área para camping, churrasqueiras free e cobertas, restaurante e coisa e tal.

No que chegamos, e o lugar estava cheio de gente prum domingo perdido no meio do nada, fomos deixando as cousas - isopor, espetos, carvão e tudo o mais - na área coberta de churrasco pra reservar um espaçozinho... O mulherio disse que os banheiros são bons... e em seguida nos bandeamo lá pra baixo...


visual do ambiente, com calçamento e luz elétrica

OK, descemos umas escadas na direção do rio Paranhana... hehehe, te mete com um nome loco desses... Parece que o sujeito esqueceu o nome e ficou de enrolaçón...

Disputando canoagem...


O Seo Jorge, nosso anfitrião, me contou umas que são difíceis de acreditar... Pois os loucos dos concorrentes nas disputas de canoagem, tem que passar por essas varetas suspensas que tu vês aí nas fotos de cima e...

E voltar remando contra a correnteza e passar subindo o rio nas varetas de outra cor - tem verde e vermelho. E sem bater, senon perde pontos. Dá pra acreditar? Quem dá? Quem dá pra acreditar?!

E mais: quando a água tá meio murchinha, eles seguram na barragem pra quando chegar o dia do campeonato dessarolharem a mesma e ter água forte aos borbotões!!!

Mas tem cada pedrão no meio do caminho da canoa que só vendo!!

O sujeito tem que ser muito "dente seco" (indivíduo destemido, audacioso, valente) pra encarar essa pedreira semi-encoberta pela água.

Rafting..


Esse negócio daí já me parece mais barbada.

A turma ganha roupa de borracha ou neoprene ou sei-lá-do-que é esse material, capacete, colete salva-vidas e vão de carona lá pra cima do morro e do rio donde começa o passeio... Tomei a liberdade de copiar a descrição de uma amiga que faz parte da NETCHE e fez o passeio uns dias antes... Leia com atenção:

------------------------------------------------------------
no dia 18 do corrente mes no corrente ano ( nossa quanta corrente..) eis que se reunem para mais uma netchaventura os corajosos: jefferson ( o que estava de pre -aniversario) Gisa;VH ( o que veio da reuniao de negocios) sobbe e Luciana ( que tb estavam em reuniao com o ronald - mac donalds); Eve e Zeca ( que até entao ouvia bem) tais e thiagao ( mal sabia ele...)

pois eis que a caravana segue em frente rumo a cidade de tres coroas aquela do jorge reis) 130km...140km..e nada de pardal ( ufa , que sorte) quando de repente o nosso pre-aniversariante fez que foi mas nao foi e acabou ficando! em plena sinaleira de sapucaia...CRASHHHH BOMMMM PLOFT...

aquele barulho ensurdecedor de pneus queimando o asfalto...zeca jogando o pobre palinho para o canteiro....barulhos de cacos de vidro...sangue??

nao nada de sangue ainda... eis que thiagao - o rapaz de grande extensao vertical sai do carro...em sua face um misto de dor, terror, panico, desespero, raiva..quais sentimentos passariam pelo nobre rapaz? nao sei...mas aqueles que apenas olhavam de longe o ocorrido ( essa que vos tecla, sobbe e vh) apenas foram cumplices de uma gargalhada sonora...(desculpai-nos pobres mortais que sucumbinos ao riso) ...pois essa face que surgiu no jovem thiago..nunca mais será vista por ninguem..( a primeira batida a gente nunca esquece)

pois bem...passado o fato..seguimos a caravana..incrivelmente mais lenta..Luciana ficando sem gasolina..VH desesperado...vaquinhas...estrada de chao...e finalmente o local!

começa a emoçao ao subirmos naquela rural em direcao a largada!....mas o periquito, papagaio, tucano , ( aquele com o nariz um pouco avantajado) dirigiu muito bem e nos levou ao destino...

divisao de botes... para desepero do Zeka, Luciana fica a frente de um dos botes ao seu lado, thiagao tambem sofre , pois a gritona e pessima remadora esta em sua frente ..sobbe parece tranquilo...eve..bem protegida no fundo do bote ( duvida: seria eu - a primeira, ou eve - a ultima com mais chances de cair?)

no outro bote ( esse mais silencioso) seguem VH,gisa,jeff,thais ...os botes param..banho de rio na galera...brincadeiras com cordas...descidas so com o colete..alguns litros adentraram nossas bocas abertas! mas era tudo festa!

segue o passeio...o piriquito a fim de me mandar longe, o zeka tb...nao sei porque? seria porque gritava e me recusava a remar contra a corrente afinal nao iria sair do lugar mesmo..)

o grupo chega são e salvo...o meu tenis ficou grudado no bote (so para ter ideia do quanto eu estava bem " presa" naquele trem)...banhos, volei, risoles com coca cola, papainho vai.papapinho vem e eis que surge a ideia para aqueles aventureiros cansados e com frio...CHURRASCARIA! o local escolhido foi a churrascaria primavera em novo hamburgo..sopinha de capeletti, picanha, carne...não poderia acabar melhor ...

mas nao acabou ai....
tem o dia seguinte....
ai....ui....meu braço doi....ai minhas costas...quero massagem...brique?
nem com guindaste....

ufa! as vezes não é tao facil ser uma aventureira! ai...ui...
mas falando nisso...
o salto de paraquedas é quando mesmo?
e o kart?
pois bem...ata feita ( oba nao preciso ir na aula de ingles)...e na proxima ve se vai!

Luciana Sa - A gritona
------------------------------------------------------------

A la putcha!!! A guria se comunica bem, hein?! Bueno, quem quiser saber mais dessas andanças da turma tem é que se cadastrar na netche, ora essa!


a curva do rio...

Jaqueline a fim de jogar o guasca no rio...

alegria das meninas em posarem pra foto

Eu, no meu sedã emprestado...



Em seguida, voltamos para a área de camping onde o Jorge me ensinou uma nova forma de acender o fogo de churrasco: com azeite.

Antigamente eu enrolava, como meu finado sogro, uma garrafa de cerveja com tiras de jornal... jogava o carvão por cima, removia a garrafa e pregava-lhe fogo nas tiras que ficavam enrodilhadas.

Com o avançar da tecnologia passei a usar as chaminhas... aquelas rodelas de álcool sólido que ficam queimando um tempo...

E então... vivendo e aprendendo... o seo Reis me põe um guardanapo no meio do carvão e, com o mesmo azeite que tempera a salada, larga ali um tanto dele. Mete-lhe fogo e fica numa buena ardendo um tempão... Pra tirar uma onda comigo, ainda fala " nunca ouviu falar de lamparina de azeite?" .

Achei que pegava mal fazer o nariz dele conhecer meu punho, mas donde se viu? Justo eu, o criador da Página do Gaúcho, desconhecer lamparinas de azeite!

Claro que conheço, mas não sabia que servia pra meter fogo no carvon também :o)))))

O Templo Budista? Pisa firme aqui com teu rato!