Você está aqui

Morre Nelson Jungbluth


Extraído do jornal Zero Hora, versão digital, 05/04/2008

Morre o artista plástico Nelson Jungbluth

Gaúcho morreu na madrugada deste sábado aos 86 anos

Ele estava hospitalizado havia 23 dias por complicações devido a problemas pulmonares. Na madrugada de sexta-feira para sábado, no Instituto de Cardiologia, ele teve duas paradas cardíacas e não resistiu.

Jungbluth começou a carreira criando quadrinhos, enveredou pela publicidade, ganhou fama como ilustrador e se popularizou como pintor com imagens de cavalos. Gaúcho de Taquara, era considerado um artista de cores generosas e figuras faceiras. Foi determinante para sua formação a longa passagem pela ilustração publicitária.


Foto de Ricardo Chaves, BD ZH 23/11/2001

Em 1939, seguiu para o Rio de Janeiro e começou a desenhar profissionalmente em quadrinhos nas revistas Suplemento Juvenil e O Guri. Na capital fluminense, iniciou-se no desenho de propaganda. Durante 35 anos, Jungbluth fez os famosos cartazes e calendários da companhia aérea Varig. Desenhava cenários do Brasil e do mundo, apostando nas cores explosivas e festivas. "Eu era o publicitário melhor pago no Rio Grande do Sul. Tinha o maior salário do Estado na área da publicidade. E larguei tudo para ser artista. A publicidade é maravilhosa, mas eu queria seguir outro caminho. Minha mulher ficou doida", contou o artista, em entrevista a Zero Hora em 2001.

Como artista, os cavalos foram seu tema de maior sucesso. "Já reparou que os meus cavalos não têm freio? Para mim, o cavalo tem que estar livre. Nunca está preso num brete, num cercado", costumava dizer. Críticos observavam que Jungbluth pintava os mais elegantes cavalos das artes plásticas brasileiras. O pintor também criava personagens femininas de linhas curvilíneas e olhares modiglianescos. Um de seus últimos trabalhos foi na exposição Essa Poa é Boa, realizada no DC Navegantes entre setembro de 2007 e fevereiro deste ano, em uma torre construída a partir de diversas pinturas.

O artista era casado com Odete Jungbluth, tinha uma filha, Sue Jungbluth da Rocha Freitas, e três netos, Rafael, 34 anos, Gisele, 31, e Graziela, 27. A cremação do corpo estava prevista para este sábado à noite, às 21h, no Crematório Metropolitano, em Porto Alegre.