Pedro Ortaça,
por Apparicio Silva Rillo

Pedro Ortaça, cria da região e soldado, por mérito e conquista, da legião dos "missioneiros" por excelência, surgiu após os grande e luminares Jayme Caetano Braun e Noel Guarany, e ao mesmo tempo que o não menos importante Cenair Maicá.

Ortaça veio de baixo e silenciosamente, como um veio d'água que traz em si os íntimos segredos da terra de que brota. Afirmou-se pelos anos, ombreou-se com seus irmãos da mesma luta.

Afinou sua guitarra pelo timbre dos sinos das catedrais jesuíticas que o tempo fez ruir; alteou seu canto com reflexos de picumã galponeiro pelos quatro pontos cardeais do estado gaúcho; superou as fronteiras naturais da "pequena pátria" e, hoje, é conhecido nacionalmente como uma das mais originais expressões da terra, do povo e dos costumes do território onde, há mais de três séculos, o gênio jesuítico começou a levantar o império teocrático das Missões.

Ele, sua viola e sua voz não apenas canta e toca, o grande Ortaça. Ensina, também, e agride, protesta e toma posições. Seu canto é comprometido com seu destino de homem que preza a liberdade como bem inalienável de todos, sem diferenças de cor ou classe, credo ou política, riqueza ou miséria material.

Ao musicar, além de textos próprios, poemas de Jayme Braun, José Hilário Retamozo, Carlos Cardinal e alguns outros - entre os quais me incluo, reverente - Ortaça realimenta as mensagens, figuras e símbolos de seus poetas irmãos. Esses que, a exemplo dele, hauriram da cultura missioneira os motivos fundamentais ou episódios de suas criações.

Divide, assim, o seu talento - porque sabe e conhece e proclama que os "missioneiros", de nascimento ou por adoção anímica, são uma única e potente voz a reverenciar, de ontem para o amanhã, os legados de flor e lança, sangue e sêmen que lhes deixou a "pátria colorada" dos Sete Povos. Fimbriada, em seu costado de resistência e confrontos, pelo rio Uruguai. Que todos (pai e padrinho) batizaram com suas águas de cantiga.

Apparicio Silva Rillo
São Borja, 4/7/89


Pedro Ortaça, em perfil enviado em 31/03/2004

Pedro Ortaça (músico,cantor e compositor missioneiro)

Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e decidimos que iríamos criar um novo modo de cantar e tocar, a maneira que as coisas do Rio Grande eram colocadas não nos satisfaziam não era a maneira que queríamos como norte para nosso trabalho.

Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Digo, nosso, por que surgimos nesse contesto na mesma época e com os mesmos ideais.E juntamente com o grande payador Jaime Caetano Braun que nos serviu de fonte e vertente para o nosso trabalho.

Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Fomos denominados pelo grande payador como "Os quatros troncos da cultura missioneira".Pois conseguimos cada qual com seu estilo criar uma nova identidade na cultura musical gaúcha.

Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e "A identidade musical missioneira".

Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Que nos torna diferentes diante a música gaúcha.E reconhecida no Rio Grande do Sul no Brasil pela maneira diferente de cantarmos:

  • Denunciamos;
  • Protestamos;
  • Registramos e levamos para o futuro o passado de um povo esquecido, explorado, mas cheio de encantos e essências.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e O povo guarani.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e A música missioneira tem o cheiro da terra colorada.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Hoje nossa música está nas universidades, nos maiores centros culturais e escolas.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Estão estudando nossas letras e nossas músicas, que são fontes de pesquisas e teses.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Somos hoje considerados pela crítica "quatro escolas da cultura musical missioneira".

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Não foi fácil, mas conseguimos! Somos hoje ouvidos na Europa, nas universidades de Portugal e França.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Em São Paulo nosso trabalho de Guerreiro a Payador (em parceria com Vaine Darde) serviu para provar que o Índio missioneiro não havia sido extinto.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Na Faculdade metodista de nutrição e fonoaudiologia POA (no curso de fonoaudiologia),pesquisa qualitativa:como os compositores gaúchos retratam nossa sociedade.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Nossa música jamais deixará de existir, por que tem cheiro de terra e como ela permanecerá.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Estados que já se apresentou:

    • Rio Grande do Sul;
    • Santa Catarina;
    • Paraná;
    • São Paulo;
    • Minas Gerais;
    • Mato Grosso do Sul;
    • Mato Grosso;
    • Espírito Santo;
    • Tocantins;
    • Bahia;
    • Goiás;
    • Distrito Federal.

    Em meados de 1966 eu juntamente com Noel Guarani e Cenair Maíca nos reunimos para tocar e cantar, e Locais importantes em que já se apresentou:

    • Único músico a se apresentar no Interior das Ruínas de São Miguel;
    • Na interiorização da assembléia Legislativa (São Miguel das Missões);
    • Musicanto (Santa Rosa)
    • Fenasoja (Santa Rosa)
    • Palácio da Cultura em Campo Grande MS
    • Teatro da Lapa PR
    • Festa do Pinhão (Lages-SC)
    • Pelourinho BH;
    • Centro de cultura em Brasília;
    • Festa da Uva (Caxias do Sul);
    • Expointer (POA)
    • Países da América Latina em que se apresenta;
    • Argentina;
    • Paraguai;
    • Uruguai.

    Apresentou-se em duas quarteadas Missioneiras promovidas pelo Gov. do Estado do Rio Grande do Sul.Em 2000 e 2001 na cidade de São Miguel das Missões (patrimônio Universal da humanidade,juntamente com a OSPA).

    Esplanada dos Ministérios na posse do presidente Luis Inácio Lula da Silva,representando o estado do Rio Grande do Sul.(Brasília)1° de 2003.

    Apresentou-se recentemente na Expo-tchê em Brasília.

    Foi eleito através do voto popular como Personalidade do século em sua terra natal, São Luiz Gonzaga.

    Gravou no dia 26.06.2003 no clube Teresópolis em POA, o primeiro DVD gaúcho,com os 10 melhores artistas da ACIT.

    Recentemente a câmara de vereadores de São Miguel aprovou o título de cidadão de São Miguel, em reconhecimento a divulgação do patrimônio da humanidade.

    Possui centenas de títulos em reconhecimento ao valor cultural de seu trabalho títulos esse dados por CTG,entidades culturais,faculdades,Universidades,Câmaras de vereadores,Prefeituras do estado e de outros países. Fazem parte de seu Show Alberto Ortaça e Gabriel Ortaça (Revelação Prêmio Açorianos).