Fala Cohen

Porto Alegre, 07 de julho de 2001.

Olá gauchada macanuda e amigos!

Gildo de Freitas.



Talvez a geração mais nova não tenha tido contato direto com as músicas desse excelente trovador que, em sua época, rivalizava taco-a-taco em popularidade com Teixeirinha. Ambos se apresentavam JUNTOS por todo o país e até criaram polêmica em seus discos, onde um respondia a provocações do outro.

Depois da insistência de vários amigos, tomei jeito e abraçei a causa de criar uma página pro homê. Afinal, se existem tantos CTGs por este país afora com o nome dele, não deve ser por acaso!

Este site é um resgate de nosso passado que não pode ser massacrado pela tecno-pop, cyber-trecos e tapa-na-bundinha-não-dói-olha-o-tchã. Como dizia Walter Spalding, "Um povo sem conhecimento de sua história e cultura é como uma árvore sem raíz". Assim, cada qual dá sua colaboração e eu, de meu jeito, a minha que aqui está.


foto de parede na casa da Dona Carminha

Peloquê, para começar o site, segui as orientações do grande amigo Valter Portalete, lá da terra querida das Missões, e fui visitar Dona Carminha, viúva do Gildo.

Entonces hoje pela manhã, sábado de sol esparramando-se pelas beiradas deste mundão, fomos até Alvorada onde a moça mora. Falei moça por que... ela tem 75 anos, mas uma pele que dá inveja a muita guria. E uma alegria, uma saúde, uma faceirice que só vendo, por deus que é testemunha e não me deixa mentir!

Falamos durante umas duas horas sobre vários assuntos. Entre eles:

  • Livro do Juarez Fonseca:
    Ela discorda de alguns pontos do livro e por isso escreveu um outro chamado "Nossa História, Minha Vida com Gildo de Freitas", que logo se esgotou. Eu o tive nas mãos por alguns minutos e pude ver que se trata de um testemunho citando várias circunstâncias da vida de ambos.

  • Polêmica com Teixeirinha:
    Ela comenta que a mídia e várias pessoas levantaram idéias de que um não gostava do outro, mas esclareceu-me que - e aqui vem a sabedoria da velhice - a questã era que apenas um pensava diferente do outro. Assim como temos colorados e gremistas, pessoas de pensamento político da esquerda ou direita, gente que não come carne de fígado nem na marra e outros que adoram, assim eram ambos.

  • Uso da imagem do Gildo:
    Dona Carminha é uma pessoa muito simples. Recebe todos em sua casa e faz questão de ser atenciosa. Disse-me gostar quando as pessoas a consultam sobre o Gildo, se podem usar uma letra ou isso ou aquilo. Esclareceu que, ao contrário de outros artistas de renome, Gildo e ela sempre foram gente muito simples. Ele mesmo recebia consultas na rua e já sugeria uma melhoria de letra aqui, uma melodia ali.

Ela é gente finíssima. Liberou seu endereço e telefone para quem quiser entrar em contato com ela. E olhem, eu liguei numa sexta e fui recebido já no sábado, sem frescura nem nada. E confirmando o que disse o amigo Portalete, ela é fina-flor de pessoa.



Dona Carminha
Rua Coronel Aparício Borges 17
Alvorada - RS - CEP 94818-130

Fone 51.443.3097

Como chegar lá?
Bueno, Segue sempre a Baltazar de Oliveira Garcia vindo de Porto Alegre. Passa na frente da prefeitura e toca adiante. Quando acabar o canteiro central, dobra a direita na rua Fernando Ferrari e segue até o Supermercado Guzati. É bem atrás dele. Não tem como errar.



Cohen co' zolhos esbugalhados e Dona Carminha

Meus Agradecimentos

  • Dona Carminha:
    Gente finíssima, super-simpática e simples que nos deixou (eu e a patroa) à vontade na sala dela e mostrou fotos, discos, etc e tal.

  • Amigo Valter Portalete:
    Lá das bandas de Santo Âgelo providenciou telefone, contato, imagens dos discos do Gildo e muito mais. Guri valente e brioso este, que só podia ser habitante missioneiro.

  • Arnaldo Guerreiro:
    Acreditem, este português tem mais de 700 discos do repertório musical gauchesco e é português mesmo, não é gaúcho desgarrado lá pras terras da nossa pátria-mãe. Enviou-me também várias imagens dos discos do Gildo, pelo que sou muito agradecido.

  • Paulo Roberto de Fraga Cirne:
    Assessor de Comunicação Social do MTG, que gentilmente cedeu sua excelente sinopse sobre trova para divulgação aqui no site do Gildo

  • Terêncio Prates:
    Gauchão bonachão e boa gente que nunca se recusa a uma empreitada, seja ela onde for. Ficou de namorico com uma das netas de Dona Carminha... Tanto que tivemo que dá uns corretivos no indío pra se aquietá, senon ia sair cantando, por lá mesmo, todo o repertório do Gildo só pra ficar bastante tempo...



Bueno, tenho consciência que o material aqui exposto sobre o Gildo ainda é pouco. Não é minha intenção detalhar cada passo do homê, acho que isso vocês podem encontrar no livro do Juarez e também no da Dona Carminha. Este último, infelizmente, está esgotado.

O primeiro, se deus quiser, vou tentar conseguir alguns exemplares, já que é de 1985 e a Editora Tchê inclusive já foi acompanhar o Gildo no céu... Se eu conseguir, te aviva companheiro, por que vai ser coisa bem procurada no Bolicho do Gaúcho!

E dou-me ao trabalho de batalhar o livro pra ti por que esta obra sobre o Gildo tens que conhecer. O homem teve uma vida cheia de peripécias (boa essa, hein?), causos e tudo o mais.

Agora chega que já são uma da matina e preciso dormir ao lado da minha prenda do coração.

Buenaço amigo, prenda.

Tudo de bom.

Cordialmente

El Cohen
Madrugada urbana de Porto Alegre neste 08/07/2001



álbum de fotografias da Dona Carminha:
recordar é viver de novo (ou quase!)