Ricardo Pereira Duarte

página atualizada em 26/11/99

Ricardo Pereira Duarte

Sobre o autor:

RICARDO P. DUARTE nasceu em Uruguaiana, RS, em 03 de julho de 1944. Guri de cidade que se criou no campo, tendo na figura de seu pai exemplo de trabalho, conheceu as lides pelos próprios calos e privou na infância e juventude com expressivos remanescentes da cultura rural do Rio Grande. Buscou nos livros, desde muito cedo, respostas aos questionamentos, tornando-se autodidata.

Artista plástico dedicado à arte regional principalmente, realizou diversas exposições individuais e coletivas no interior e na capital do Rio Grande do Sul. Inclui Buenos Aires, Rep. Argentina, entre as cidades em que também expôs suas obras.

Proprietário da Cabanha Touro Passo, onde cria o gado Polled Hereford, desenvolve trabalho genético destacado nas exposições de Esteio e outras e, em 1980, recebeu o prêmio de “Produtor Modelo”, instituído pelo INCRA. Um dos fundadores da raça Pampiano Braford, é autor do PADRÃO RACIAL HEREFORD PARA O BRASIL. Atua também como jurado de bovinos de corte no interior do estado.

Foi presidente do Sindicato e Associação Rural de Uruguaiana, do Núcleo Fronteira Oeste de Criadores de Hereford e Braford e de outras entidades não governamentais de interesse público; Vice-presidente da Farsul, da Associação Brasileira de Hereford e Braford, e da Associação Nacional de Criadores – Hed-Book Collares. Sua propriedade mantém convênio firmado para desenvolvimento das ciências com instituições educacionais como PUCRS, Unipampa e Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul.

No fim da década de ’60, formou com Colmar P. Duarte, César Tasso Aymone Lopes e Júlio Machado da Silva Filho o Conjunto de Artes Nativas Marupiaras, grupo vocal e instrumental para a arte regional gaúcha que incentivou a idéia da Califórnia da Canção Nativa do RS, festival responsável pelo desenvolvimento da identidade cultural gaúcha no Brasil.

Na CALIFÓRNIA, participou em todos os setores de organização, com destaque em cenografia; mas foi na presidência do Festival, assumida de 1982 a 1984, onde demonstrou sua capacidade de renovação, levando-a ao seu período de maior expansão física, quando alcançou o apogeu de atividades paralelas.

São de sua autoria a formação do Conselho Consultivo da Califórnia e sua inclusão no Regimento Interno do CTG Sinuelo do Pago; a organização do Mega-espetáculo da Cidade de Lona, através de comodato com a Associação Rural; a instalação da Califórnia em escritório, com infra-estrutura operacional, em local próprio e caráter permanente; a organização dos arquivos e salvaguarda dos registros fonográficos. Na sua gestão, a Califórnia recebeu o Disco de Platina.

Colaborou nas atividades iniciais de formação dos festivais “Ronda da Canção”, de Alegrete; “Clarim”, de São Borja; e “Musicanto Latino Americano de Nativismo”, de Santa Rosa. Participou também do Corpo de Jurados na inauguração desses eventos e de outros festivais. Quando da locação para o filme “Netto Perde Sua Alma”, Tabajara Ruas teve a colaboração da vivência campeira de seu amigo de infância nessa e em outras questões, tendo feito uma “ponta” no elenco.

Contemporâneo de escola do poeta Luiz de Miranda e do articulista Nei Duclós, colega de classe dos professores José Édil de Lima Alves e Cícero Galeno Lopes e do escritor Tabajara Ruas, entre outros, também se dedicou à palavra escrita, sendo fundador da Asociación de Escritores Sin Fronteras, com sede em Bella Unión (ROU), e membro da Academia Uruguaianense de Letras, cuja Presidência assumiu em 2009.

Escritor e filósofo - “o artista mais completo que conheço” no dizer de Jaime Vaz Brasil -, trabalha de forma eclética romances, ensaios, pesquisa histórica, poesia, contos, história, zootecnia, ensaios e genealogias.

E-mail: rdtopass@uol.com.br

 

Produção:

ESTAMPAS DO SUL (Edigal, 1987) livro de desenhos comentados sobre a vida na estância gaúcha;

A SESMARIA DA PEDRA (Alves Editores, 1993) romance;

OUTRO COMPASSO (Alves Editores e Instituto Estadual do Livro, 1994, Coleção Estado Interior) poesias;

CONSIDERAÇÕES SOBRE BOVINOS DE CORTE (Ed. Grupo da Cultura, 1997) zootecnia

A ESTÂNCIA DO LAGOÃO (Gente do Livro, 1999) romance

A SESMARIA DOS d’AVILA, pesquisa genealógica;

O VÔO DAS ANDORINHAS, contos

SI VIS PASCEM..., política

DE LOUCO E TUDO UM POUCO, filosofia

MAIS LEVE QUE O AR, poesias

AO ABOIO DO TEMPO, romance

JOSÉ DO CAMPO, romance histórico

 

Obras no prelo

1 COINTOS, episódios eróticos;

2 “DE FECA... ¿BIEN?”, sátira fisiológica;

3 DIVA, romance

4 CONCEITOS DE TUDO UM POUCO, filosofia;

5 FACUNDO, tradução da obra clássica de Domingo Faustino Sarmiento;

6 JAPEJÚ PUITÃ E O TOURO PASSO, ensaio histórico para o turismo rural em Uruguaiana;

7 MAIS LEVE QUE O AR, poesias;

8 O VOO DO TAJÃ, poesias;

9 “PERICO” A sociedade rural do Prata e o mundo desenvolvido, ensaio histórico/história da Bacia do Rio da Prata.

10 SETE FEITOS DO PRATA, ensaios:
A evolução do bovino doméstico.
A lírica do Prata.
Manoel Luiz Osório.
O Antônio Chimango.
O Martín Fierro.
O Gaúcho, morte e sobrevivência. Riqueza bovina dos campos do sul.

11 SI VIS PASCEM..., política;

12 UMA VOZ NO CAMPO, coletânea de artigos publicados em jornais,

 

Obras em produção

1 ALINE, recopilação de poemas da autora falecida;

2 ALMAS PERDIDAS, romance;

3 AMIGO FOLHARADA, contos infantis de galpão.;

4 CHIQUINHO, roteiro para filme;

5 ESTÁGIO EM ZOOTECNIA, zootecnia;

6 FIGURAS DO CAMPO, relatos curiosos sobre personagens locais;

7 MEU LIVRO ABERTO (título provisório) autobiografia;

8 NEFILIM, romance;

9 ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO EM ZOOTECNIA, práticas de campo;

10 OUTROS CONTOS, contos;

11 SUMPLÍCIO, episódios rurais risíveis.

 

Colaborações

URUGUAIANA SONHO E POESIA, produção da Câmara de Vereadores de Uruguaiana, Gráfica Comercial Sul Ltda., 1984;

ANTOLOGIA DA POESIA URUGUAIANENSE, organização de Soares Tubino, Gráfica e Editora Grupo da Cultura, 1997;

A TERRA DOS LONGOS OLHARES, antologia uruguaianense (Evangraf, 2005)

CANTOS DA ALDEIA, coletânea da Academia Uruguaianense de Letras, 2010.

 

Ilustrações

MARTIM FERA, autoria de Donaldo Schüler, Editora Movimento, 1984;

CANCHA RETA, autoria de Colmar Duarte, Editora Movimento, 1986;

 

Capas

SESMARIA DOS VENTOS, (segunda edição) autoria de Colmar Duarte, Editora Movimento, 1984;

CANCHA RETA, autoria de Colmar Duarte, Editora Movimento, 1986;

MEU VERDE MORRO, autoria de Mozart Pereira Soares, Martins Livreiro Editor, 1991;

CARDO, autoria de Colmar Duarte, Alves Editores, 1993;