editorado e publicado
em 01/09/2002


Introdução, por Cohen:

Dia 27 de julho de 2002, um sábado, embarquei num planador e me fui para as bandas de São Paulo. Mais exatamente, em Embu das Artes, onde fica a sede do CTG União e Tradição. Uns 30 kms da grande capital. Lá, presenciei um magnífico evento e ia registrar tudo, tim-tim por los tim-tins, quando a bela Sandra, posteira cultural, me enviou tudo de inhapa.

Ela escreve tão bem que qualquer cousa que eu registrasse em seguida, nem ia atrair tuas vistas, entonces...



I Encontro de Jovens Tradicionalistas de São Paulo

registro de Sandra Unbehaum
Posteira cultural do
CTG União e Tradição/Embu das Artes/SP





Nos dias 26,27 e 28 de julho aconteceu em Embu, São Paulo, no CTG União e Tradição o I Encontro de Jovens Tradicionalistas. Lá reunidos, em acampamento, 110 jovens puderam vivenciar o tradicionalismo; compreender a história do movimento tradicionalista gaúcho por meio da oratória de Darcy Paixão (Departamento Cultural do MTG/RS); aprender sobre consciência tradicionalista no mundo contemporâneo com Ivo Benfatto (Conselheiro do 35´CTG e Presidente do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre) e conhecer também a importância da participação jovem no movimento tradicionalista, ouvindo o testemunho de Rosangela Antoniazzi (Fundadora do Depto. Jovem do MTG/RS) e Gisele Felício (1ª Prenda do MTG/RS 2000/2001). Tiveram ainda a honra de ouvir e conversar com Celso Soares, presidente da CBTG, e incentivador do resgate da participação jovem no movimento tradicionalista.

Mas não foi só isso, neste Encontro os jovens tiveram oportunidade de expressar suas opiniões sobre temas que escolheram como relevantes, iniciando, mesmo que timidamente, o importante exercício da manifestação participativa. A mesa foi presidida pelo Peão Tradicionalista Xirú (2002/2003) e Posteiro de Invernada Artística do CTG União e Tradição Sr. Francisco Fighera, tendo como secretária a 1ª Prenda Adulta do MTG/SP Srta. Adelita Caparró Zuppiroli, e como relatoras as 1ª Prendas Adultas Juliana A.E. dos Santos (CTG União e Tradição) e Lissandra dos Passos Nunes (CTG Saudades da Querência, São José dos Campos/SP).

O Congresso Jovem foi inspirado no modelo de congresso simplificado elaborado por Dinara Paixão e Darcy Paixão. Trata-se de um encontro promovido pelo Departamento Cultural com o objetivo de preparar os tradicionalistas, visando uma participação mais efetiva nos Congressos. No caso do Congresso Jovem, visou-se permitir que os jovens tradicionalistas discutissem temas relevantes, inspirados naqueles defendidos no 1oCongresso Tradicionalista de Santa Maria, ocorrido em julho de 1954, presidido por Manoelito Ornellas.

Assim sendo, foram sugeridos os seguintes temas:

  1. O Sentido e o valor do Tradicionalismo*
  2. Tradicionalismo como Força Educativa*
  3. Tradicionalismo constrói para o futuro?*
  4. Papel do jovem tradicionalista na sociedade atual
  5. Tradições Gaúchas e Cultura Brasileira
  6. Objetivos do CTG e o papel dos jovens
  7. CTG: função cultural, social ou recreativa?
  8. CTG: conservadorismo ou convívio com a tecnologia?*

Esses temas foram defendidos e aprovados no 1º Congresso Tradicionalista, em Santa Maria, julho de 1954.

Destes temas, 4 ganharam a preferência dos jovens e foram apresentados por 8 peões e prendas:

Objetivos do CTG e o papel dos jovens
Renato Fernandes da Costa Cardoso (CTG Gaudérios de São Pedro, RJ)
Danielle Ribeiro Costallat (CTG Gaudérios de São Pedro, RJ)

O Sentido e o Valor do Tradicionalismo
Alessandro Augusto Campanini (CTG Fronteira Aberta/Sorocaba - SP)
Marcelo P. da Silva (CTG Fronteira Aberta/Sorocaba - SP)
Carla Brum (CTG União e Tradição, Embu -SP)

CTG: função cultural, social ou recreativa?
Evaldo Luiz Cirino (CTG Fronteira Aberta/Sorocaba - SP)
Charleston Freitas Velho (CTG Paulínia de Morais - Nova Paulínia -SP)

O Papel do Jovem Tradicionalista na Sociedade Atual
Thaís larizzatti Maia (CTG União e Tradição, Embu -SP)

Cabe destacar que os temas escolhidos e as falas destes jovens, revelaram profunda preocupação pela manutenção do tradicionalismo e de seus princípios. Diferente do que poderia se supor, demonstraram interesse em cultivar a tradição, os costumes e o folclore gaúcho, ressaltando a cultura brasileira (Renato). Por outro lado, souberam atualizar os princípios tradicionalistas invocando a atenção para uma maior integração com comunidade circunvizinha aos CTG´s, como uma das formas de levar adiante a cultura, o regionalismo e o patriotismo; incentivando a participação dos jovens (Danielle). A invernada foi destacada como importante na difusão da cultura gaúcha, conquistando a população local não gaúcha (Danielle).

Os CTGs foram ainda apontados como um importante espaço de integração de jovens e crianças, como espaço de educação e aquisição de valores. Para tanto, se faz necessário a compreensão dos veteranos tradicionalistas aos anseios dos mais jovens; reivindicou-se desta forma o incentivo à participação dos mais jovens em outras frentes de atuação nos CTGs, que não apenas as invernadas artísticas e esportiva (Alessandro, Danielle, Marcelo, Evaldo, Charleston).

Como uma das funções do CTG, visando o sentido e o valor do tradicionalismo moderno, foi apontado como exemplo o papel de seus integrantes na prevenção contra o uso de drogas (Carla); destacando-se o CTG como um espaço de ação dos jovens frente aos problemas da sociedade contemporânea; forma única de manter os princípios de liberdade, igualdade e liberdade (Thaís).

A idéias apresentadas pelos jovens tradicionalistas, aqui resumidamente colocadas, mostram que mais do que nunca é preciso estimular, criar espaços para a participação efetiva dos jovens que se dedicam ao movimento tradicionalista gaúcho. O exercício de debater, falar em público, colocar suas opiniões mostrou-se frutífero, mas revelou também a necessidade de torná-lo uma constante no calendário de nossas atividades culturais, seja no âmbito do CTG, seja no âmbito do MTG.

Para complementar essas atividades prendas e peões divertiram-se em torneios de truco e futebol (masculino e feminino) organizados pelo jovem Posteiro Pedro Lahmann. Outra iniciativa de nossos jovens - Carla Brum e Carlinhos Lahmann foi a rádio Lambari de Sanga, que bem ao estilo campeiro animou o I Encontro com músicas, informes e conhecimento.

Uma tertúlia animada pela comitiva do CTG Gaudérios de São Pedro, do Rio de Janeiro, tendo à frente a gaita de Maria Teresa Lobo Costa e o violão de Mauro Brasil Costa mostrou o verdadeiro sentido da reunião ao redor do fogo de chão. Em pouco tempo, outros guaiteiros - Nego Gil, Bugrão, Darci Perin, Robertinho, Márcio Dornelles -, violeiros - Chico Fighera, Gustavo Fighera, Odirlei Barbosa e Alexandre Chave (Puff) no pandeiro foram se achegando e todos juntos emocionaram os presentes. E houve declamação, chula, demonstração de boleadeira etc...

A noite uma dança de integração colocou no tablado mais de 40 casais de uma só vez...até Darcy Paixão sucumbiu ao convite da Prenda Farroupilha Alessandra Lahmann para dançar o Xote de 4Passi. Todos depois dançando a Polinésia seguiram em comitiva para um Galpão onde foi realizado um típico baile campeiro: com fogo de chão, luz de candieiro, guaiteiros tocando em volta do salão...

Tão belo evento só poderia ser finalizado, na manhã de domingo, com uma bela Missa Crioula, organizada pelo Grupo Sinuelo da Paz e rezada no galpão pelo Padre Luiz Bacejo. Na ocasião foram doados alimentos para uma creche da cidade do Embu, simbolizando a função social que o movimento tradicionalista também representa. E depois, o delicioso churrasco de vala, feito pelas mãos de Carlinhos de Oliveira, Elias Poluboiarinov e Lourival M. da Silva; além claro da Roda de Chimarrão com declamação, chula, canto e fotos e abraços, despedidas e muita, muita alegria!

O I Encontro de Jovens Tradicionalistas mostrou a importância de criar-se espaços para a integração entre os jovens, a troca de experiências, o estabelecimento de vínculos de fraternidade e amizade sem o predomínio de competitividade e rivalidade que muitas vezes reina em nosso meio. Este foi apenas o primeiro de muitos outros encontros e atividades com esta finalidade que virão! É através desta participação que nossos jovens compreenderão o significado dos princípios de nossa carta, encontrando assim as razões para manter viva a chama crioula da tradição gaúcha.


Seção de fotos:


convidada e a
patroa Angela

autoridades

danças

palestras

fandangos noturnos

danças no salão

fandango noturno

acampamento juvenil

sentados, os posteiros culturais Jeferson e Sandra

Benfatto e Paixão assistem a missa crioula

visão matinal do acampamento

patroa, patrão Max e filho

churrasco na vala - 1

churrasco na vala - 2

churrasco na vala - 3

missa crioula

El Cohen e amigos

foto de todos

Fighera declamando

muitas prendas, muitas...

recuerdos - mira o taura agachado

churrasco na vala - 4

organizadores

gente buena

Uma quantidade ainda maior de textos e imagens pode ser encontrada no site: www.estanciabrasil.hpg.com.br


Olhem, o mais importante de tudo, na minha opinião, foi um grupo de amigos e pessoas, a maioria gaúchos desgarrados, mobilizarem-se e organizarem um evento que atraiu jovens, velhos, autoridades e até este preguiçoso aqui.

Durante dois dias, uma intensa programação bem organizada preencheu todas as lacunas de tempo e deixou assunto pra esta gurizada por semanas adelante. Muito melhor que ficarem enfiados num parque ou num apartamento, não?!

E melhor ainda, hehehehe, encontrar o patrão da comissão de churrasco, o Carlinhos, estampando uma camiseta do Terêncio Prates. Imagina se non houveram regalias na costela que se desmanchava de tão macia?!


:o)

Baita abraço a todos los hermanos dos quatro cantos deste mundão!

El Cohen

01/09/2002